edição nº 7 ano 2019
outros títulos do autor
Um pouco mais de reflexologia
Depois de um dia quente de verão
Enxergando melhor
Cereais para todos os gostos
Tomate
Mastigue bem
Clorofila
Ao despertar
Algas marinhas
Óleo de melaleuca e seus benefícios
     
 
veja também
Alimentos para envelhecer com beleza
Minha mãe, Dona Laura
Envelhecimento saudável
Escola Solaris, porto seguro espiritual
A importância de uma boa mastigação

Lanço um desafio quase infantil, mas de difícil realização: Quantas vezes você mastiga o alimento? 


Não quero recomendar, como Michio Kushi fazia na macrobiótica, a mastigar o alimento cem vezes. Vinte ou trinta vezes já é um grande triunfo se você puder ater-se ao fato. (E você poderá comprovar o quão difícil é!)


Na mastigação, com a trituração dos alimentos, as enzimas presentes na saliva (ptialina) ajudam a produzir moléculas cada vez menores, que são mais facilmente aproveitadas pelo organismo. Além disso, mastigar bem os alimentos facilita o trabalho do nosso organismo em fazer a digestão, pois as enzimas e os sucos digestivos se misturam melhor aos alimentos, promovendo maior absorção dos nutrientes. 


Outro fator importante da mastigação lenta é que o alimento fica em contato por mais tempo com as papilas gustativas, o que nos faz sentir mais o sabor dos alimentos. Qualquer que seja o alimento, a mastigação lenta auxilia no processo digestivo, evitando transtornos tão comuns, como a azia.


Quando o alimento ingerido alcança nosso estômago, essa informação leva em torno de vinte minutos para chegar ao nosso cérebro, tempo suficiente para fazermos um grande estrago alimentar. O ato de comer devagar permite que o cérebro capte, de maneira mais eficiente, o recado enviado pelo hormônio da saciedade, ou seja, aquele que diz que você está satisfeito e que é hora de parar. 


Se você mastigar lentamente os carboidratos, por exemplo, notará o sabor doce inerente a eles e é provável que consiga diminuir sua necessidade de doces e fugir das “tentações”. Quem come rápido, come sem pensar, come mais do que precisa e pode engordar, além de aumentar o trabalho do estômago, resultando em fermentação e gases. 


Vale ressaltar:

1. Evite comer com pressa ou em pé;

2. Não coma em frente à TV;

3. Aprecie o sabor da comida, sinta o gosto e as texturas;

4. Mastigue em pequenas garfadas e use toda a cavidade oral, ou seja, não mantenha o alimento apenas em um dos cantos da boca;

5. Procure concentrar-se na refeição;

6. Se você conseguir comer devagar provavelmente não repetirá o prato; 

7. Se estiver ansioso ou nervoso, deixe para comer depois.


Não se esqueça: mastigar bem os alimentos para:

  • Facilitar a digestão;
  • Aumentar a absorção dos nutrientes;
  • Não comer mais do que deve durante a refeição;
  • Fazer uma refeição prazerosa.

 

Você aceita o desafio?

 

 

Fonte: nutrichefbrasilia.com.br/dicas-saudaveis

 

Maria Bové Martinez

Solariana, profa. de português, podóloga e terapeuta corporal da linha reichiana.

 
 
Imprimir