edição nº 8 ano 2021
outros títulos do autor
Feng shui e suas aplicações
Arquitetura e geobiologia
     
 
veja também
Limões e suas cascas
Afinal, o que é teoria polivagal?
Verão
Herói moderno
Cuidando das nossas peles!

“Todos somos cinco peles interligadas, permeáveis que somente integradas promovem a continuidade da Vida... dos seres do Planeta”

 

O artista e arquiteto ecologista austríaco Hundertwasser, nascido em 1928, foi um dos pioneiros a perceber a necessidade de se criar uma arquitetura mais humanizada e ecológica. Ele criou e defendeu a teoria das cinco peles, que são nossa proteção e também nossa responsabilidade coletiva: epiderme, vestuário, residência, identidade social/meio ambiente, mundo/biosfera


Para uma “casa” mais saudável, é primordial entender o seu morar nas cinco peles e saber se adaptar à realidade objetiva ao seu redor, saber como cada corpo reage ao seu espaço; além de promover ações eficientes para aquele local, respeitando culturas, memórias afetivas, processos de funcionamento do corpo e abrindo caminho para novos hábitos.


Cada vez mais temos consciência de que fazemos parte de uma rede. Estamos todos interligados e o que cada pessoa ou grupo faz influencia os outros. Portanto precisamos rever os nossos hábitos individuais, relacionando-os com nosso entorno. O acontecimento da Covid-19 deixou mais visível este conceito, pois as soluções realmente eficientes utilizaram uma visão global, aplicada por meio de ações regionais, respeitando condições específicas de cada localidade para obter resultados duradouros.


A primeira pele é nossa Epiderme.

 

A epiderme dá forma a todos os corpos humanos, ela nos envolve, é a camada de proteção do nosso corpo, o primeiro contato dele com o mundo externo. É como um espelho capaz de registrar a história da pessoa com suas rugas e expressões corporais.


Cada um sabe das características da sua pele (ou deveria saber) e quais os cuidados que deve tomar para evitar problemas: limpeza, filtro solar, hidratante, oleosidade, etc.


O quanto conseguimos escutar e respeitar as necessidades do nosso corpo?


A segunda pele é a Vestimenta.


Vestir-se está relacionado com a possibilidade de o ser humano trocar de "pele".

Funciona como um passaporte social, oferece uma relação com o outro através da roupa que vestimos, expressando a nossa individualidade, que agrega hábitos familiares, preferências e memórias afetivas, inseridos em um ambiente cultural.


Cada um precisa ter consciência da imagem que apresenta para o outro, saber se ela é verdadeira e fiel ao que acredita como ser social e ativo.


Vivemos hoje uma fase que reforça a exigência de um consumidor responsável e cidadão. Será que a sua roupa te representa e é coerente com o seu discurso, ou não passa de modismo e consumismo? 


A terceira pele é a Residência.


As paredes, o teto, as janelas e as portas, entradas e saídas, que acolhem e abrigam o ser humano representam a terceira pele. É o lugar onde o homem reside e realiza suas obrigações cotidianas. A residência possibilita, através do convívio familiar, a construção do caráter pessoal, de comportamentos e filosofia de vida.


A moradia de cada ser humano é influenciada constantemente por suas características pessoais. A casa de cada indivíduo não deixa de ser uma extensão do corpo dele. 

Todos os moradores são responsáveis, igualmente, em manter a harmonia e boa relação entre as pessoas, para que esta “casa” realmente seja uma camada de proteção, um “porto seguro” para recarregar energias e manter a vitalidade.


Qual o local da casa que é especial para você?  Você cuida dele?


A quarta pele é a Identidade Social.


Esta pele envolve sociedades e as culturas que a sustentam, compreendendo organização política, econômica e social, ideologias, direitos e deveres. É o momento no qual o ser humano se encontra com o outro, exercita a percepção do entorno e aprimora a sua função dentro deste meio.


A sociedade de consumo está inserida nesta pele, e isso leva à reflexão sobre a participação de cada um na repercussão do consumo humano sobre os recursos naturais. Há necessidade de compreender que todos temos um papel importante no impacto ambiental por meio de nossas ações cotidianas, que poderão ser multiplicadas por milhões se todos tiverem a mesma atitude. Isto vai determinar o quão irreversível serão os danos causados pelo homem à natureza.


Você realmente precisa de todos os produtos que consome?

Como você descarta o que não usa mais?


A quinta pele é a Biosfera.


Esta pele engloba todas as demais, garantindo a sobrevivência ou não da humanidade, de acordo com a capacidade ecológica do planeta.


É a camada de proteção que pede diálogo com o meio ambiente, para compreensão e respeito da biosfera terrestre. Disto depende a sobrevivência de todos, o que envolve qualidade de ar, produção de alimentos, água potável, variações do clima, volume de chuvas, condições de moradia, capacidade de regeneração, etc.


Mais do que nunca é necessário que o homem, como ser pensante, seja consciente da sua função como habitante da Terra: saber preservar e usar com inteligência os recursos naturais, tendo como perspectiva uma vida saudável e feliz para todos os seres do planeta.


Precisamos desfrutar de nossa capacidade intelectual criativa para planejar e executar, como agentes ativos nos processos, uma sociedade evoluída, autossuficiente e em harmonia com a natureza. A plena adaptação ao meio somente pode acontecer com abertura para hábitos mais saudáveis que concretizem produtos visíveis e úteis para a sociedade, hábitos que se tornarão um exemplo a ser seguido por esta e pelas próximas gerações.   


Quais as suas ações cotidianas para preservar o meio ambiente?


“Todos somos cinco peles interligadas, permeáveis que somente integradas promovem a continuidade da Vida... dos seres do Planeta.” A verdadeira evolução, seja da sociedade ou da consciência de cada um, só irá ocorrer quando houver o entendimento de que na realidade somos todos UM.

 

 

Fontes:

Revista Ecológico. Edição 6.

-  Site ArchDaily. “O corpo para além de si e da arquitetura – Hundertwasser.” 

- “Slow Fashion e a Teoria das cinco peles de Hundertwasser no desenvolvimento de uma plataforma virtual de tendências”, Dissertação de mestrado de Vanessa Mazzocchi Koppe, UDESC, 2019. 

- “Cidades saudáveis: Percepção e qualidade de vida no meio ambiente construído.”       

- Educação Ambiental: desenvolvimento de cursos e projetos. Livro de Arlindo Philippi Junior, editora Signus, 2000.

Imagem: designer Sueli Garcia apresentada na ExpoRevestir 2021 – sob o tema: “Casa – a Pele Sensível".

 

 

Maria Luisa C. Coelho e Silvio Curado Coelho

Maria Luisa C. Coelho é arquiteta e urbanista, consultora de Feng Shui pela Escola Bazhai da Bússola. Frequenta o Instituto Solaris há mais de 20 anos, sendo integrante do grupo da Ritual da Luz.

Silvio Curado Coelho é arquiteto e urbanista, pós-graduado em Educação Ambiental na Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP). Professor do Instituto Solaris, sendo integrante do grupo da Ritual da Luz.

 
 
 
Imprimir