edição nº 10 ano 2021
outros títulos do autor
Sonhos
Mensagem para 2010
Mediunidade
Caminho Evolutivo no século XXI
Vivendo com seu Gestor
Regra de 3
Superação
Caminho dos Guerreiros
Legado Atlante
Criatividade
     
 
veja também
Inhame e seus benefícios
A arte de agradecer
"Uma imagem"
Divino versus humano
Solaris, uma escola iniciática

A entrevista dá continuidade à série "Conversa com Sofia Mountian", em comemoração aos 25 anos do Instituto Solaris.

Revista Solaris: Na escola, tem-se falado muito de Caminho Evolutivo. Afinal, o que significa fazer o Caminho Evolutivo?
Sofia Mountian: No Caminho Evolutivo o indivíduo faz um esforço para desenvolver um potencial diferenciado e especial que traz um poder pessoal imensurável: a possibilidade de direcionar a própria vida. 
A humanidade sempre sonhou com a evolução, entendendo-a como o desenvolvimento de habilidades ocultas. Surgiram muitas hipóteses a respeito da imortalidade – a vida após a morte, reencarnação etc. –, que podem ser vistas como tentativas de achar a razão de existir e de superar limites biológicos.
Antes, a busca pela evolução era escolha de alguns indivíduos, que tinham de se afastar do mundo para entrar nesse processo; hoje, o mundo, a humanidade, está trilhando o Caminho Evolutivo, apenas não o chama dessa maneira. Quer dizer, o Caminho Evolutivo, mais do que uma possibilidade, tornou-se uma exigência de nossa sociedade. Atualmente, é absolutamente indispensável, a qualquer ser humano, conhecer e utilizar seu potencial, trabalhar sua motivação e tomar decisões sem se estressar ou perder a cabeça. Todos sabemos que, sem isso, seremos sempre joguetes.
 
RS: É possível aprender a desenvolver essas características? Toda pessoa pode ter acesso a esse potencial?
SM: É possível aprender. Sempre houve escolas especiais, normalmente de difícil acesso, que, através de diversas técnicas, permitiam ao indivíduo um salto de consciência. O acesso a essas escolas nunca foi proibido, a questão era conseguir encontrá-las. Como diz o título de uma das obras do grande alquimista Irineu Filaleto: Entrada aberta ao palácio fechado do rei.

RS: O Instituto Solaris é uma dessas escolas?
SM: Sim. O Solaris não nasceu com esse objetivo, mas, ao longo dos 25 anos de sua existência, tornou-se uma escola iniciática.

RS: Como pode estar certa disso?
SM: O Solaris é uma escola iniciática, pois cumpre os pré-requisitos necessários para isso. A escola iniciática é composta de 4 níveis: externo, interno, evolutivo e imortal.

RS: Poderia explicar o significado de cada nível?
SM: O nível externo estabelece o contato da escola com o mundo. Existe interação com o meio ambiente, ou seja, há uma linguagem que possibilita o contato com as pessoas. Este é um ponto muito importante para que a escola consiga visibilidade, hoje necessária. Através da ONG Solaris, várias possibilidades de entrada à escola são oferecidas.

RS: Você fala dos Rituais?
SM: Sim, também. Temos os Rituais de Energização e diversos workshops, como Espiritualidade Prática 1 e 2, Energia Positiva Diária, Eu sou (para adolescentes), Ritual Individual de Cura, entre outros.
A criação dessas portas de entrada à escola foi sempre uma tarefa conjunta, desenvolvida por alunos formados e que pertencem ao último nível, chamado imortal.

RS: E o nível interno?
SM: Este nível é desenvolvido no curso Caminho Evolutivo no século 21, que é a síntese de mais de 20 anos de elaboração de alternativas para o desenvolvimento do ser humano. Esse trabalho envolve diversas práticas e exercícios e ferramentas que possibilitam uma compreensão profunda de si – temos a Matriz Multidimensional, que mostra o potencial energético do indivíduo, e o Eneagrama, que evidencia o funcionamento da sua personalidade. Em conjunto, essas ferramentas refletem, como num espelho, características normalmente não visíveis.
Percorrer esse caminho permite acessar o Gestor Pessoal, que todo mundo tem, mas que normalmente não se exterioriza em situações cotidianas. Só que agora o mundo mudou: com o ritmo alucinado de nossas vidas, precisamos da  presença do Gestor no dia a dia. O Gestor nos ajuda em mudanças de rumos, em decisões arriscadas, nos traz confiança e serenidade.  
Permanecer no caminho e colocá-lo em prática depende da própria pessoa. Ela pode contar com a força do grupo, mas cabe a ela priorizar esse processo. É uma responsabilidade individual.

RS: Pode falar um pouco dos outros níveis?
SM: O nível evolutivo já requer o contato com um conhecimento diferenciado, transmitido através de linguagens esotéricas. No Solaris, usamos o Tarô Egípcio, mas não no sentido da adivinhação. Aqui o Tarô é estudado como uma linguagem, um alfabeto, que permite a compreensão de dimensões elevadas e invisíveis, porém, existentes.
Para a pessoa chegar ao nível evolutivo, ela precisa passar por 3 estágios, ou cursos: Jogos Divinos e Tarô Egípcio, Alquimia e Cabala.
E o nível imortal transforma o aluno num iniciado. Ele é agora um participante ativo, sacerdote ou mestre, que representa a escola e expande seu conhecimento nos níveis externo, interno ou evolutivo.
Em seu caminho evolutivo, o iniciado tem uma tarefa muito importante – ele se torna um elo de ligação, trazendo de planos superiores uma energia muito necessária para os tempos modernos.

RS: Você fez muitos trabalhos voltados ao mundo empresarial. Como o Caminho Evolutivo se reflete nas empresas?
SM: Hoje uma empresa pode ser considerada uma escola iniciática. Ela também tem quatro níveis. O nível externo se dá pela presença do produto no mercado. O interno compreende os funcionários. O evolutivo engloba os técnicos e executivos, capazes de manter o funcionamento da empresa. E o nível imortal se concentra no dono ou nos seus prepostos, responsáveis pela existência da organização em si e perante a humanidade.

RS: É um assunto muito interessante. Podemos voltar a conversar sobre isso?
SM: Sem dúvida.  
 

Sofia Mountian

Sofia Mountian dispensa maiores apresentações – criadora da Teoria da Abrangência, fundadora do Instituto Solaris, presidente da ONG Solaris e uma das sócias da Plênita Consultoria. Sofia, no intuito de esclarecer dúvidas sobre a Teoria da Abrangência, o crescimento do ser humano e assuntos de interesse dos solarianos, escreve mensalmente na Revista Solaris.

 
 
Imprimir