Warning: ob_start() [ref.outcontrol]: output handler 'ob_gzhandler' conflicts with 'zlib output compression' in /home/institutosolaris/www/printDoc.php on line 5
PORTAL SOLARIS
Poder de decisão

Em 2003 em criei um curso chamado Caminho do Guerreiro, que envolve a capacidade de realização de algo a partir do próprio esforço.


Caminho do Guerreiro teve sucesso e hoje faz parte do curso Criação e fixação de novos hábitos, sendo uma ferramenta importante para criar o que conhecemos na escola como Eixo Horizontal. 


Lembrei daquele curso ao ler um artigo de Alice Ferraz sobre Edith Eger, uma sobrevivente de Auschwitz. Com 92 anos, Edith é escritora, doutora em psicologia e trabalha há mais de 40 anos com veteranos de guerra e vítimas de traumas físicos e psicológicos.

 

Ela cita uma frase da mãe que define a essência do seu trabalho: “Ninguém pode tirar o que você colocar na sua mente”.


Edith afirma: “A maior prisão é aquela que construí para mim mesma: uma prisão mental”. Ela estimula nos pacientes o poder de escolha para realizar uma mudança positiva.


Segundo a longeva psicóloga, a liberdade é um exercício diário que exige esperança e consciência de que o sofrimento, embora terrível, é temporário, jamais permanente.


Ela levanta os seguintes questionamentos:


Vítima ou sobrevivente?

Rígido ou flexível?

Orientado por problemas ou por soluções?

Vivendo refém do passado ou vivendo no presente?

Vingativo ou capaz de seguir em frente?


Edith se pergunta diariamente: estou evoluindo ou resolvendo o passado?


Fiquei bastante impressionada, pois a criação do Eixo Horizontal está focalizada na mesma questão. Este eixo tem como objetivo alcançar possibilidades vibracionais necessárias para se fazer uma mudança, mas que não se encontram no nosso cotidiano. Sem isso, é impossível transformar.

 

A construção do Eixo Horizontal passa por três etapas: Libertação, Escolha e Liberdade. 

 

LIBERTAÇÃO 


A primeira etapa envolve a decisão de sair da condição de apatia em relação a determinada situação existencial. 

É um despertar de vontade para se libertar de condições que provocam insatisfação e sofrimento por meio de uma decisão de risco, pois não existe nenhuma pista de como conseguir fazer isso. É um salto no escuro, simplesmente por não se aguentar a vida como ela é.

Normalmente esta etapa começa com a constatação de aprisionamento. A prisão está ligada a um grande medo do futuro, que justifica a inação ou a apatia. Chamamos este estado de acomodação. 

A decisão de romper é interna, sempre baseada no risco e na sensação de esgotamento. 


ESCOLHA


A segunda etapa permite manter as portas abertas para receber ajuda. É impossível trilhar esta etapa sozinha. O pedido é feito e ouvido por profissionais responsáveis pela cura, mestres, egrégora e amigos que dão a chance de a pessoa formular novas possibilidades existenciais. Ela faz diversas tentativas, ainda não definitivas. A escolha resolve o problema, mas ainda não tem a fixação necessária. 

Nesta etapa, muita ajuda é oferecida, principalmente pela conexão com a força espiritual. O entendimento da informação traz a possibilidade de regeneração, da abertura de um novo caminho, muitas vezes inimaginável. A sorte parece surgir e clarear seu destino. 


LIBERDADE


A terceira etapa é responsável pela introdução de tarefas necessárias para que a solução encontrada pela pessoa se torne definitiva. 

É preciso criar um esquema de funcionamento contínuo. A escolha assume força e poder, dando condições plenas para essa nova possibilidade de vida se fixar. Os recursos necessários aparecem e ajudam a manter a certeza no futuro almejado, que certamente vai se realizar.

A liberdade é alcançada quando o NUNCA MAIS se torna permanente, ou seja, quando a pessoa encontra uma realidade objetiva para sua nova existência. 

 

O eixo horizontal deve ser construído, ele não vem pronto. Esta construção é norteada pelo Caminho do Guerreiro, que é composto de oito estacas: INTENSIDADE, ACELERAÇÃO, AUTORIDADE, ALÍVIO, CONVIVÊNCIA, CERTEZA DA ESCOLHA, PROVAÇÃO, ETERNIZAÇÃO. Cada etapa é guiada por estacas correspondentes.


É o caminho do destemor e reflete o potencial presente em todo ser humano, sem exceção, para superar a sua própria limitação. 


 

Fontes:

 

FERRAZ, Alice. “A liberdade da heroína Edith”. Estado de São Paulo, H4, 27/06/2021.

EGER, Eva Edith. A liberdade é uma escolha. Editora Sextante. 

 
Sofia Mountian

Sofia Mountian dispensa maiores apresentações – criadora da Teoria da Abrangência, fundadora do Instituto Solaris, presidente da ONG Solaris e uma das sócias da Plênita Consultoria. Sofia, no intuito de esclarecer dúvidas sobre a Teoria da Abrangência, o crescimento do ser humano e assuntos de interesse dos solarianos, escreve mensalmente na Revista Solaris.